Vistos de Residência

Solicitar um visto de residência em Portugal requer toda a atenção e cuidado para o envio correto e organizado da documentação.

Com uma assessoria especializada e experiente, o seu processo tem mais chances de sucesso em um tempo mais curto.

Conduzimos centenas de processos com absoluto sucesso, pois seguimos à risca as instruções das autoridades portuguesas e nos mantemos atualizados com as mudanças na legislação de imigração.

A LEGISLAÇÃO PORTUGUESA PREVÊ 7 TIPOS DE VISTO DE RESIDÊNCIA PARA ESTADIA SUPERIOR A UM ANO

VISTO D1 Exercício de atividade subordinada

É o visto para quem vai trabalhar em Portugal, por meio de um contrato de trabalho formalizado.

Visto D2 Exercício de atividade profissional independente ou empreendedores

É o visto dirigido a profissionais independentes que pretendam trabalhar como prestadores de serviço em Portugal (advogados, médicos etc) ou para pessoas que tenham a intenção de desenvolver uma atividade empreendedora em Portugal, demonstrando a relevância econômica e social de tal empreendimento. Essa também é a modalidade de visto para quem pretenda desenvolver uma start up, integrada em incubadora certificada pelo Governo Português.

Visto D3 Profissionais altamente qualificados ou Atividade de investigação

Visto destinado aos estudantes de doutoramento ou profissionais que exerçam uma atividade altamente qualificada, com contrato de trabalho.

Visto D4 Estudo, intercâmbio, estágio profissional ou voluntariado

Visto destinado aos estudantes de ensino superior (licenciatura, mestrado), estagiários ou voluntários com duração maior que um ano.

Visto D5 Visto de Residência no Âmbito da Mobilidade dos Estudantes do Ensino Superior

Destinado àqueles que já vivem na Europa e desejam transferir ou continuar seus estudos em Portugal.

Visto D6 Para efeitos de reagrupamento familiar

Esta modalidade não é usual, uma vez que os familiares do titular portador do visto de residência entram em Portugal como turistas e depois são reagrupados a partir da emissão da autorização de residência para o titular.

Visto D7 Aposentados ou detentores de rendimentos

Este visto contempla os aposentados e pensionistas, bem como os detentores de rendimentos (aplicações financeiras, ações, dividendos e rendas provenientes de alugueis). Os candidatos deverão provar ter disponibilidade de recursos depositados em Portugal, necessários para viver durante o mínimo de 12 meses.

VISTO GOLD, GOLDEN VISA OU AUTORIZAÇÃO DE RESIDÊNCIA PARA ATIVIDADE DE INVESTIMENTO EM PORTUGAL (ARI)

O Visto Gold na verdade “pula” a etapa de visto de residência, pois já é uma autorização de residência em Portugal, obtida por meio de um investimento efetuado no país que pode ser:

Compra de imóvel de € 500 mil ou mais;

Transferência de capitais de € 1 milhão ou mais;

Criação de pelo menos 10 postos de trabalho;

Aquisição de imóveis, cuja construção tenha sido concluída há, pelo menos, 30 anos ou localizados em área de reabilitação urbana e realização de obras de reabilitação dos bens imóveis adquiridos, no montante global igualou superior a € 350 mil;

Transferência de capitais no montante igual ou superior a € 350 mil para atividades de investigação desenvolvidas por instituições públicas ou privadas de investigação científica;

Transferência de capitais no montante igual ou superior a € 250 mil, que seja aplicado em investimento ou apoio à produção artística, recuperação ou manutenção do património cultural nacional;

Transferência de capitais no montante igual ou superior a € 500 mil, destinados à aquisição de unidades de participação em fundos de investimento ou de capital de risco vocacionados para a capitalização de pequenas e médias empresas.

Ficou com alguma dúvida?

Entre em contato com a gente contato@portugalsuacasa.com.br